Giethoorn – um cenário de filme!

Prepare-se para se apaixonar definitivamente pela Holanda! O post de hoje é sobre Giethoorn, um dos lugares mais fofos que já conheci na vida. Parece ter saído de um conto de fadas! É tão pacífico, tão diferente e tem uma beleza tão simples que não parece real

O vilarejo está localizado no leste da Holanda, a 120 km da capital, na província de Overijssel. Mas não é uma vilarejo comum, ele é formado por pequenas ilhas, conectadas por pontes de madeira, são mais de 170, caso queira saber 😉 . Nas ilhas encontramos charmosas casas que, a maioria, exibem jardins floridos e bem cuidados.

Outro detalhe importante para contar, é que não passam carros por lá, pois não tem ruas. Para quem mora ou passeia em Giethoorn, as opções para se locomover são: barco, bicicleta ou caminhada.

Giethoorn
Ah! os telhados das casas são todos assim, de colmo (tipo uma palha).

Você deve estar se perguntando como se formou esse lugar tão pitoresco, então deixa eu te contar um pouco mais sobre.

A origem de Giethoorn

No ano de 1170, o Dilúvio de Todos os Santos aconteceu. Essa inundação garantiu que grande parte dos Países Baixos fosse inundada. Quando, mais de 100 anos depois, os primeiros habitantes se estabeleceram na região, eles tiveram que recuperar a área de turfa para torná-la adequada para cultivo e ocupação. Eles encontraram nos solos de turfa numerosos chifres de cabras. Por consequência, decidiram chamar o seu novo local de residência “Geytenhoren”. 

Gethorn-Gijthorn-Geithoorn-Geytenhoren-Geythorn-Giethoorn

A extração de turfa – uma espécie de musgo que é utilizada como fertilizante e combustível, deu origem aos canais e, em áreas maiores, aos lagos formados pelo o acúmulo de água da chuva.

Nas ilhas, as pessoas construíram suas casas e o acesso somente era, e ainda é, possível por pontes ou usando pequenos barcos. Os barcos tradicionais de Giethoorn, chamados de punters, são estreitos e empurrados por um punteraar. Melhor explicando, empurrados por um grande remo. Muito parecidos com as famosas gôndolas de Veneza, e daí o apelido da vila: A Veneza holandesa.

Giethoorn

Contudo, não se deixe enganar pelo apelido, pode dar uma falsa impressão de tamanho e multidões. Com 2,5mil habitantes, até hoje a vila conserva a calmaria de suas origens, onde o som mais alto que você normalmente ouve é o barulho de um pato ou outras aves. O silêncio é parte fundamental da vida em Giethoorn, até mesmo os barcos respeitam isso. São usados um tipo de “Whisper boats”, barcos elétricos que quase não fazem barulho ao navegar.

Mas é claro que no verão as coisas mudam um pouquinho, pois Giethoorn entrou na rota turística em 1959, quando o famoso cineasta holandês Bert Haanstra usou a vila como cenário para o filme Fanfare. E nunca mais saiu, então, prepara-se para enfrentar um certo trânsito de pessoas e barcos por lá.

Quando visitar?

Giethoorn

Quando você puder! É um passeio lindo para todas as épocas, é claro que um dia de chuva não é recomendado. Mas fora isso, tenho certeza que vai se encantar em qualquer estação do ano.

O verão é a alta temporada, por isso reserve com antecedência seu passeio de barco. E também é quando andar de bicicleta por lá não fica tão recomendado. Como podem imaginar, a vila é pequena e suas pontes estreitas. Com o alto fluxo de turista, não fica agradável o passeio.

Giethoorn

O que fazer por lá

Como a vila é famosa pelos canais, nem preciso dizer que a atividade principal é passear pelas águas. Mas, existem algumas opções para você escolher: caiaques, barcos a motor ou o punters (aquele que expliquei dos longos remos), entre outros… Algumas opções são em grupo e guiadas, e outras independentes, para essas você recebe mapa de rotas. E fique tranquilo, os barcos são de baixa velocidade. Para ambas as escolhas sugiro reservar com antecedência, para não arriscar ficar sem o passeio.

Reserve:

Caso goste de museus, te conto que a vila tem três para visitar: De Oude Aarde (de minerais e cristais), Gloria Maris (de conchas) e o museu Olde Maat Uus,que é uma fazenda do século 19 restaurada e conta como viviam os fazendeiros do vilarejo.

Além disso, você também encontrará lojinhas de artesanatos, restaurantes e cafés situados nas margens dos canais. Entre eles, o destaque vai para o restaurante De Lindenhof (Beulakerweg 77), com 2 estrelas Michelin

Como chegar em Giethoorn?

Comigo!! Em um passeio guiado e exclusivo para você e sua família! Onde não terá que se preocupar com nada 🙂

De carro:

De Amsterdam a viagem dura em torno de 1h30. Veja aqui as melhores opções para locação:

*reservando pelo blog, você não paga nada a mais e ainda ajuda o canal 😉

Transporte público:

A viagem dura em torno de 2h e custa em torno de €50,00 ida e volta.

Passo a passo para chegar lá:

1 – Da estação Central de Amsterdam pegue um trem para Steenwijk, mas atenção pois terá que fazer baldeação em Amstersfoort.

2 – Em Steenwijk pegue o ônibus n70 com destino a Zwartsluis. Desça na parada Dominee T O Hylkemaweg, o trajeto dura em torno de 15 minutos. Chegando lá, apenas siga a multidão rs O ponto de ônibus fica de frente ao início da vila, então não tem como errar!

De excursão:

Outro opção é fechar um pacote de passeio em grupo pela Get Your Guide, uma empresa parceira do blog.

Giethoorn
Parece de boneca né?! Tudo tão fofinho por lá!

Gostou? Então compartilha 😉

Atrações em Amsterdam

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *